Granito in the Media

Antique typewriter, Zurich

Projetos com Retorno Sócio-Ambiental São Alvos de Banco de brasileiros

© Folha de São Paulo (Brazil), 2017-08-01

MARIANA BARBOSA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

 

Um grupo de investidores brasileiros e portugueses anuncia nesta terça (1º) o lançamento de um banco de investimentos global dedicado exclusivamente a projetos com retorno não só financeiro como social e ambiental.

Sediado em Londres, o Granito&Capital nasce com um mandato para captar US$ 2 bilhões para projetos nas áreas de energia renovável, saúde, desenvolvimento urbano, infraestrutura e finanças.

No mundo, já somam US$ 28 trilhões os recursos geridos dentro de estratégia de investimento responsável –que levam em consideração o impacto ambiental, social e de governança justa.

Para Daniela Soares, presidente do Granito&Capital, o investimento responsável pode garantir retornos maiores, subvertendo a lógica de que mais risco leva a maiores retornos. "Quando você tira o fator de risco ambiental, social e de governança, de certa forma você reduz o risco do negócio, mas, como você aumenta a qualidade do ativos, o retorno é maior."

Soares começou a carreira no mercado financeiro (com passagens por BankBoston Capital, Citibank e Goldman Sachs) e por dez anos foi presidente-executiva do Impetus, principal fundo britânico de "venture philanthrophy", dedicado a fomentar ONGs de alto impacto.

"Eu estava havia muitos anos do lado "sem fins lucrativos", tentando mover a agulha do impacto social, mas usando metodologias de negócios", diz. "Agora é o outro lado: o lado comercial, mas com a visão de que é possível fazer bem e fazer o bem ao mesmo tempo. Todos os agentes econômicos podem e devem ter impacto positivo em todas as esferas de atuação."

O Granito faz parte de uma holding dedicada à economia de impacto e que inclui também uma consultoria e um think thank a ser lançado neste ano. O grupo foi fundado pelo português radicado no Brasil Rodrigo Tavares, ex-assessor de relações internacionais do governo de SP, e tem como sócios-investidores Fabio Barbosa, Antonio Ermírio de Moraes Neto e Heinz-Peter Elstrodt.

Entre os primeiros clientes estão uma unidade de energia solar na Bahia, um investimento de US$ 500 milhões. 

 

Publicado originalmente em Folha de São Paulo.